quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Proposta para os feriados: Mendoza!

 
Há anos eu planejava ir a Mendoza. Por N razões, acabou ficando sempre postergado, mas eis que, nessa vibe toda #damedosfeelings que me acometeu no começo do segundo semestre, felizmente encarei a viagem. E que viagem! Gostei tanto, mas tanto, que já penso em voltar; e ando planejando aqui com meus botões também viagens nesse estilo para outros destinos, como Napa Valley. Mas isso já é outra história, claro. Vamos ao que interessa, bem resumidinho, para quem quer aproveitar um dos próximos feriaditos para escapar pra lá:

A melhor forma de ir:
Na minha opinião, via Santiago. A gente voa com o bom serviço da LAN (e não com os aviões sucateadinhos da Aerolíneas), o aeroporto de Santiago para espera em conexão é zilhões de vezes melhor que Ezeiza e o Aeroparque e a gente nem precisa mudar de terminal nem nada. Sem falar que a viagem de Santiago a Mendoza dura apenas 35 minutos (o voo pode ser chacoalhadinho, mas são sempre Airbus 318 e a vista da cordilheira é um desbunde)

O que fazer:
Confesso a vocês que o que mais fiz nessa viagem foi visitar bodegas, comer e beber muito bem. Pra não dizer que passei uma semana só no regime de engorda, rolou um dia inteiro numa Estância aos pés da cordilheira, com direito a assado típico dos gauchos argentinos e uma cavalgada que entrou para a (minha) história. Para os amantes dos vinhos, como eu, o que não faltam são bodegas para visitar e vinotecas para trazer preciosidades pra casa. Consumistas de plantão também podem se deliciar com o novo e big shopping e com as lojinhas do centro. Aventureiros podem, além das mil e uma cavalgadas pela região e cordilheira, encarar um rafting no rio Mendoza durante as cheias. E, the biggest surprise, ótimos produtores de azeite arauco também abrem suas propriedades para incríveis degustações.

As refeições mais legais:
No fundo, as que mais me marcaram foram os menus harmonizados das vinícolas – menus com cada prato acompanhado de um vinho diferente. Amei de paixão o da Terrazas de los Andes (160 pesos), que foi a melhor refeição de toda a viagem pra mim, e o da Chandon (170 pesos), cujos seis passos foram todinhos harmonizados só com espumante. Dos restaurantes, curti muito o Azafrán, o 1884 e o do Cavas Wine Lodge, um Relais&Chateaux excelente (traga o azeite deles pra casa, btw).

As visitas mais legais:
São muitas! Difícil é escolher que vinícolas visitar com tanta oferta! Mas, claro, é o programão de todo dia para quem ama vinho. A mais didática foi a da Chandon (quase 1h30 de duração, 15 pesos), mas também gostei muito da Terrazas de los Andes (que é a pioneira nos plantios por altitude que hoje são regra em Mendoza, 30 pesos). A da Família Zuccardi tem também degustação de azeites (30 pesos), pra quem se interessar, e a Finca Flichman oferece uma bela visita guiada absolutamente gratuita (mas sem degustações).


Por Mari Campos - 08/10/2010
www.viajeaqui.abril.com.br

Nenhum comentário: