segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Prepare o corpo para o horário de verão

Mudança nos ponteiros do relógio pode provocar alterações no organismo. Veja como se adaptar mais facilmente

Os médicos já estão preparados: na próxima semana, as queixas de dor de cabeça, cansaço intenso, dificuldades com o sono, mal-estar e tontura podem ter como causa comum o horário de verão.
A partir da meia-noite do dia 17, na passagem de sábado para domingo, os ponteiros do relógio devem ser adiantados em uma hora e a mudança pode impactar no funcionamento do organismo, alerta Jacob Faintuch, médico clínico geral do Hospital das Clínicas de São Paulo.
Segundo ele, as primeiras alterações sentidas são no sono e o motivo é um hormônio chamado melatonina. Ele é acionado pela falta de luz e o fato dos dias serem mais longos pode fazer com que o corpo humano tenha dificuldade em produzi-lo.
“Para se adaptar ao novo horário, é importante evitar situações estimulantes no final da tarde ou no início da noite”, afirma. Quanto mais estímulo, maior a dificuldade do organismo para relaxar e pior a qualidade do sono. Quem cobra a fatura é o corpo, no dia seguinte, quando o despertador toca.
Insones
O horário de verão, em geral, faz aumentar uma turma já numerosa no País: a dos insones. Segundo uma pesquisa do Instituto do Sono da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), que avaliou 2.100 pessoas, uma em cada três tem problemas para dormir. Esta mudança no relógio da parede ou do pulso – ainda que de apenas uma hora – altera também o relógio biológico. Mesmo quem não convive com problemas com o sono, portanto, pode ficar durante os primeiros cinco dias de novo horário rolando na cama, de um lado para o outro.
Esta dificuldade de adaptação, orienta Jacob, pode prejudicar o rendimento nas atividades diurnas. É uma situação parecida com outros fenômenos que podem acontecer em qualquer época do ano, como a mudança de turno no trabalho ou o jetleg, aquela situação estranha que surge depois de viagens de avião, em especial quando a origem e o destino têm diferenças grandes no fuso horário.
Desequilíbrio
O alerta dos especialistas é que dormir mal pode ser prejudicial para outras áreas que vão além do cansaço: o sistema cardiovascular pode ficar alterado e a incidência de doenças como o infarto tendem a ser mais comuns. Há piora no sistema metabólico e o diabetes também pode ficar descontrolado. Até o regime é comprometido, já que pesquisas recentes já mostraram que dormir pouco é um dos vilões para perder peso.
Ainda assim, uma das recomendações feitas com veemência pelos médicos do Hospital Beneficência Portuguesa é: em hipótese alguma tomar remédios para dormir por conta própria, ainda que o sono insista em não aparecer nos primeiros dias do novo horário. Esses medicamentos podem causar intoxicações graves se não corem administrados com orientações específicas sobre o uso.
Uma dica – natural e sem contraindicação – é fazer caminhadas, com intensidade moderada, três horas antes de dormir. Uma pesquisa feita pelo Centro de Estudos em Psicobiologia e Esporte, da Unifesp, atestou em análise feita com 36 indivíduos que sofriam de insônia por ao menos 9 anos que este tipo de exercício aeróbico – praticado em esteira – fez com que o tempo entre deitar na cama e pegar no sono fosse reduzido em 54%. Além disso, aqueles que praticaram a caminhada ampliaram em 37% o número de horas dormidas.
A ressalva é que exercício demais – e muito intenso – pode ser mais prejudicial do que benéfico. “Exercícios físicos muito extenuantes também devem ser evitados. O ideal é praticar atividade física uma vez ao dia, no mínimo duas horas depois de acordar, e evitar a prática até três horas antes de dormir”, completa o médico do HC, Jacob Faintuch.
Veja outras dicas
- Nos primeiros dias do novo horário faça refeições leves, ricas em frutas, verduras e legumes, que facilitam a digestão
- Procure deitar mais cedo, mesmo que encontre dificuldades para pegar no sono, o ambiente calmo ajudará a dormir melhor
- Evite realizar exercícios físicos pesados. Prefira atividades relaxantes como alongamento e ioga
- Evite o consumo de café, cigarro e bebidas alcoólicas no período noturno
- Nas primeiras semanas procure fazer refeições sempre no mesmo horário, isso evita a fome fora de hora
- Não faça uso de medicamentos para dormir sem prescrição médica
- Não tome banho muito quente ou muito frio
- Não leia livros ou assista a filmes muito estimulantes nas horas que antecedem o sono

Nenhum comentário: