quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Castelos pelo mundo: um conto de fadas real

Depois de habitados por personagens históricos ou curiosos, os castelos abriram as portas para passeios dignos de rei. Escolha o seu  
Reis, rainhas, princesas, duques e até vampiros. Nem só da realeza e belas histórias do tempo da Idade Média viveram os castelos. Seus personagens há muito se foram e, hoje, essas construções oferecem jantar, passeio de balão e tours pra lá de diferentes. 
FRANÇA
Divulgação

Se conhecer um castelo na região de Versalhes, na França, construído no século 16, já parece encantador, imagine apreciar esse visual do alto, durante um jantar a dois. O Château d’Esclimont, que já foi uma elegante residência da família La Rochefoucauld, oferece um pacote de uma noite para casal que inclui, além da hospedagem com café da manhã, um jantar em um balão com direito a champanhe e mais um sobrevoo de uma hora e meia durante o dia.
Transformado em hotel, ele tem entre as acomodações, 47 quartos e mais seis apartamentos distribuídos entre o Castelo, a Torre da Guarda e o Pavilhão de Troféus. Nos espaços reservados às refeições está o restaurante la Rochefoucauld e mais dois salões. 
Serviço:
O pacote custa € 1.180 para duas pessoas com uma noite de hospedagem, café da manhã, jantar no balão com champanhe e sobrevoo de uma hora e meia. St. Symphorien le Chatêau, 28700, França. Tel. +(33) 02 37 31 15 15

INGLATERRA
Divulgação

Em 914, Ethelfleda, filha de Alfred O Grande, ordenou a construção de uma muralha ao redor de uma pequena colina para proteger Warwick de invasores dinamarqueses. Porém, o Castelo de Warwick só foi de fato construído em 1068, por William O Conquistador, no alto de uma falésia de arenito, em uma curva no Rio Avon. 
Até o do século 17, o palácio foi usado como fortificação, construído para ser base de defesa durante as guerras, sendo transformado em casa de campo da família Greville em 1759. O castelo foi então comprado em 1978 pelo grupo A Tussaud’s, que hoje promove uma série de jantares temáticos e eventos para visitantes. Entre as atividades destacam-se um banquete medieval do século 14 com bebidas (cerveja, vinho e refrigerantes) à vontade.
Os trajes sugeridos para a ocasião são casuais, mas quem quiser entrar ainda mais no clima pode alugar roupas de época para participar da festa, que ocorre também nas noites de Natal. Outra opção é um jantar assustador nas antigas masmorras. O cardápio inclui frango defumado com bacon e coberto com massa folhada, e uma opção vegetariana, pimentas recheadas com alho-poró acompanhadas por um risoto de cogumelos. O menu parece normal, mas fique atento: no ambiente escuro, as surpresas podem ser muitas.
Serviço:
Os ingressos custam a partir de US$ 30. O jantar custa a partir de US$ 81. Warwick, Warwickshire, Inglaterra. Tel. +(44) 0871 265 2000.

ESTADOS UNIDOS
Dreamstime/Viajar pelo Mundo

Encravado nas colinas de San Simeon, no meio do caminho entre São Francisco e Los Angeles, está um castelo que de tão grandioso poderia valer por um reino inteiro. No total são quatro casas, sendo três para hóspedes e La Casa Grande, a principal, com 115 cômodos. Obras de arte, esculturas, mobiliários, tapeçarias, 127 hectares de jardins e três piscinas estão em exposição.
É tudo tão grande que a organização local oferece quatro roteiros diferentes para quem quer conhecer a propriedade e um para os que buscam um pouco mais de emoção. Recomendado para visitantes de primeira viagem, o tour 1 apresenta os quartos do primeiro andar da Casa Grande, uma das três casas de hóspedes e as piscinas. O tour 2 segue pelos quartos superiores da Casa Principal, passa pela cozinha, biblioteca e piscinas. Já a terceira opção vai um pouco além, mostrando banheiros, o lado norte e uma casa de hóspedes. Se optar pelo tour 4, terá direito ainda de conhecer a adega.
Durante a primavera e o outono, dá para fazer um passeio noturno e sentir como era ser um hóspede do milionário Hearst, que mandou construir o castelo em 1922.
Serviço:
Ingressos a partir de US$ 24. Hearst Castle Road, 750, San Simeon, Califórnia, Estados Unidos. Tel. + (1) 800-444-4445

ROMÊNIA
Dreamstime/Viajar pelo Mundo

Este castelo é uma visita obrigatória para os fãs das histórias de terror. Construído pelos cavalheiros da Ordem Teutônica no século 13, serviu para defender o caminho comercial que ligava Valáquia à Transilvânia na Idade Média. Mas não é isso que faz dele um verdadeiro castelo dos horrores, mas um de seus antigos habitantes: o príncipe Vlad Tepes, o Empalador. Sim, falamos de Drácula. Foi Vlad quem inspirou o escritor Bram Stoker a criar o famoso conde de seu romance.
Stoker pesquisou muito até encontrar em Tepes o que seria a base do seu personagem. O príncipe, de fato tinha “Dracul” (“Filho do Dragão”) no nome, mas baseado em seu suposto gosto de empalar suas vítimas acabou ganhando o outro apelido. Ele não era vampiro, embora existam relatos de que bebia o sangue de suas vítimas. Há também inúmeras histórias, lendas e teorias que circundam a real vida de Drácula. Entre elas está a de que ele, muito cruel, chegou a matar 500 pessoas num mesmo dia, e que virou prisioneiro do irmão, em seu próprio castelo.
Hoje, considerado um dos monumentos históricos mais visitados e conhecidos da Romênia, abriga um museu de arte medieval e, claro, guarda diversas recordações dele, o conde Drácula.
Serviço:
Ingresso: a partir de US$ 4. General Traian Mosoiu Street, 28, Bran, Romênia. Tel. +(40) 268-238-332

JAPÃO
Divulgação

O Japão também está cheio de castelos, e um dos mais bonitos é o Himeji, a cerca de 650 quilômetros de Tóquio. Conhecido como “Garça Branca”, a imponente construção é inteiramente feita de madeira e utiliza pedras apenas na fundação. Para proteger a estrutura do fogo, as paredes são revestidas de gesso branco, à prova de chamas, o que justifica, em partes, seu apelido. 
Em 1993, o Castelo de Himeji foi considerado Patrimônio Mundial pela Unesco, inclusive por conta de sua madeira ser de valor inestimável. O Himeji está no alto de uma colina, a Himeyama, e sua torre principal, com 46,4 metros, fica a 92 metros acima do nível do mar. 
Para ter melhor eficácia de defesa, preocupação normal na época de sua construção, o castelo por dentro é como um labirinto e, ainda hoje, mesmo com as sinalizações, muitos visitantes acabam se perdendo.
Serviço:
Ingressos a partir de US$ 6. Honmachi, 68, Himeji, Hyogo, Japão.

INGLATERRA
Divulgação

Pelos corredores do Thornbury já passaram reis, rainhas e duques. Hoje, transformado em um luxuoso hotel, gente do mundo todo ocupa os cômodos e quartos desta propriedade, construída em 1511 para ser a casa de campo de Edward Stafford, terceiro duque de Buckingham. Após uma guerra civil inglesa, o castelo caiu em ruínas, mas foi todo recuperado em 1824, pela família Howard.
As atuais instalações contam com 27 quartos que preservam a elegância e o estilo de um verdadeiro castelo, um restaurante de cozinha exemplar e jardins muito bem cuidados, onde está, por exemplo, uma plantação de uvas particular. Nessa pequena vinícola, os hóspedes podem, entre o fim de setembro e o começo de outubro, participar da colheita das uvas. O vinho não é feito no castelo. A produção é terceirizada e a bebida, vendida no restaurante.
Serviço:
Diárias a partir de US$ 272. Castle Street, Cambridge, Inglaterra. Tel. +(44) 0 1454 281182.

RÚSSIA
Divulgação

É uma construção imponente, com torres, colunas, esculturas e tudo o que um castelo tem direito. Porém, não são grandes paredes de pedra que o formam. Ele também não surgiu na Idade Média e não teve reis e rainhas entre seus habitantes.
Na verdade, o Lumi Linna começa a ser construído no início do mês de dezembro e fica em pé somente até meados de abril. Trata-se de um castelo feito de gelo, com quartos, restaurante, lounge e capela. Tudo branquinho e gelado. Todos os anos ele é novamente erguido, sempre de forma diferente, quando as temperaturas caem e o inverno chega. Na sua construção são usadas cerca de 3 toneladas de gelo de lagos próximos às suas instalações. O Lumi Linna volta a funcionar em janeiro de 2011.
Serviço:
O ingresso custa € 8. O valor da diária para hospedagem é a partir de € 140. Rua Kauppakatu, a apenas 500 metros do centro da cidade de Kemi. Tel. + (7) 358 16 259502.

BRASIL
Divulgação

Apenas pelo nome fica difícil acertar onde está este castelo. Château é castelo em francês, e Lacave, caverna em um espanhol antigo.
A arquitetura contribui para o chute ir um pouco mais longe e o nome de quem idealizou essa construção dificulta ainda mais a descoberta do seu verdadeiro endereço. O castelo foi construído em 1968 pelo espanhol Juan Carrau e o projeto seguiu praticamente à risca a planta original de um modelo medieval espanhol do século 11.
Apesar de tantas ligações externas, acredite, o Château Lacave está no sul do Brasil, na cidade de Caxias do Sul. Instalado em uma área de 70 mil metros quadrados, o lugar é também uma vinícola administrada pela família Basso e conta com um restaurante com opções de pratos harmonizados com vinho.

Serviço:
Ingressos custam R$ 5. BR-116, Km 143, Caxias do Sul (RS). Tel. (54) 4009-4822.

ESCÓCIA
Dreamstime/Viajar pelo Mundo

Para os mais destemidos, uma visita ao Glamis pode render boas
emoções. Dizem na região que este é um dos castelos mal-assombrados da Escócia. Não apenas por um ou outro fantasminha que já foi visto por ali. São vários e eles estão por todas as partes. O rei Malcolm II é um deles. Foi assassinado lá e deixou uma poça de sangue no chão que levou tempos para conseguir ser removida.
O castelo tem inúmeras salas secretas e, ao que parece, elas também abrigam fantasmas. Entre eles, o de um garoto que foi muito mal tratado e mantido em uma dessas áreas secretas. As outras figuras misteriosas, dizem, são vistas vagando pelos corredores. Um antigo funcionário, que teria morrido congelado sentado em uma cadeira, é outro espírito que passeia por lá.
Se este tour não for suficientemente aterrorizante, o Castelo de Glamis promove festas de Halloween em outubro. Prepare sua fantasia e junte-se aos fantasmas.
Serviço:
Ingressos a partir de US$ 14. Glamis, Angus, Escócia. Tel. +(44) 01307 840393.



Viajar pelo mundo - www.revistaviajar.com.br

Nenhum comentário: