segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Como usar a intuição a seu favor

Ferramenta poderosa do cérebro, ela ajuda a resolver conflitos e a fazer escolhas

Por: Thaís Manarini

Nos dias em que participavam de um curso, a produtora editorial Giuliana Trovato, 27 anos, e seu irmão estacionavam o carro no mesmo local. Depois de meses cultivando esse hábito, Giuliana um dia cismou que deviam colocar o carro em outro lugar. “Estava com uma sensação estranha”, lembra.
Apesar da insistência da produtora em parar o carro em outro lugar o irmão parou na vaga de sempre. “Pedi para não deixar nada de valor dentro do veículo. Mais uma vez ele teimou e largou um agasalho e um aparelho de música lá. Eu preferi levar minha mochila com o laptop”. Quando voltaram, a surpresa: o carro havia sido arrombado. Os assaltantes ficaram com o som e os objetos do irmão de Giuliana. “Pelo menos continuei com meu computador!”.


                 Foto: David Santos / Fotoarena  
Giuliana Trovato aprendeu a seguir sua intuição depois de ter o carro arrombado por ladrões

Imediatamente Giuliana lembrou da intuição que teve ao estacionar o carro. Também conhecida como sexto sentido, essa ferramenta importantíssima está longe de ser algo sobrenatural ou puramente místico. Segundo Katia Rech, psicóloga, psicoterapeuta e membro titular do Centro de Desenvolvimento da Intuição e Critividade (CDIC), do Rio de Janeiro, “trata-se de uma qualidade natural da psique humana”.
Mas, por se manifestar de forma inesperada e não ser resultado de um raciocínio lógico – extremamente valorizado pelo homem moderno ocidental –, a intuição muitas vezes é ignorada. Uma pena, afinal, uma boa parcela de todas as informações que captamos é enviada para o inconsciente sem que percebamos, isto é, driblando a consciência.
“Mais tarde, esse conhecimento pode emergir, resultando naquilo que chamamos de sacada ou insight”, conta Ari Rehfeld, psicólogo e supervisor da clínica de Psicologia da PUC de São Paulo. Portanto, ainda que sua origem seja desconhecida, aquele lampejo que surge vez ou outra pode fazer muito mais sentido do que se imagina.

Aliada na rotina
Se levada a sério, a intuição pode ser de grande valia tanto no âmbito pessoal quanto no profissional, pois ajuda (e muito!) no momento de tomar decisões importantes e resolver conflitos. Para fazer uso desse excelente instrumento da mente, o primeiro passo é percebê-lo. De acordo com Katia, “normalmente sentimos a intuição como uma certeza interna e não como um desejo ou pensamento corriqueiro. É como um clarão instantâneo”.
Por outro lado, vale lembrar que a intuição é apenas um dos recursos disponibilizados pela mente para nos orientar. Trocando em miúdos: ela não deve ser encarada como uma certeza absoluta. “Aí vira bruxaria”, brinca Rehfeld. Portanto, quando ficar com a pulga atrás da orelha por causa do comportamento de uma amiga ou do namorado, lembra-se de que é preciso checar várias informações antes de tirar satisfação.
“Assim como o músico confunde as notas de uma pauta ao iniciar o aprendizado, é preciso estar atento para o fato de que podemos interpretar mal a mensagem que a intuição passou. Por isso, é útil testá-la no mundo real”, salienta Celana Cardoso Andrade, psicóloga clínica e professora da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Goiás (UFG).
Foi o que fez a produtora Giuliana, desta vez apostando na própria intuição. Por conta da sensação de que a simpatia exagerada de uma colega de trabalho era, na verdade, sinal de falsidade, ela decidiu investigar.
“Não deu outra: peguei a fulana vasculhando meu computador e deletando alguns arquivos na hora do almoço. Isso só foi possível porque tive uma intuição estranha e voltei mais cedo para a empresa”, avalia.

Potencial intuitivo
O conhecimento intuitivo nasce com o ser humano. De acordo com Celana, “ele diz respeito à subjetividade. Isso que dizer que a intuição é uma parte natural da vida e pode ocorrer com qualquer pessoa, em diferentes situações”.
A questão é: por causa da correria do dia-a-dia, essa aptidão nem sempre é ativada, estimulada e apreciada. Sendo assim, é possível concluir que há pessoas mais conectadas com seu lado intuitivo do que outras. Mas, no final das contas, todo mundo é capaz de desenvolver e se beneficiar dessa habilidade.
“O que podemos fazer é, por meio da psicoterapia, meditação e outras técnicas, preparar as pessoas para terem um maior acesso à própria vida íntima, afetiva, inconsciente, intuitiva e simbólica”, observa Kátia, do Centro de Desenvolvimento da Intuição e Criatividade.

Abertura
Confira, a seguir, algumas dicas da psicóloga Celana para ter mais acesso a essa poderosa ferramenta. Mas, não se esqueça: para identificar os sinais e as mensagens enviados pela intuição, é preciso ter muita atenção e principalmente paciência.
1. Abra-se para novidades: assim, sua intuição poderá se infiltrar na consciência em vez de ser filtrada pela sua consciência
2. Respeite suas emoções, sensações, sentimentos e pensamentos. Quanto maior o contato com aquilo que você sente, mais fácil será ouvir a intuição
3. Esteja alerta para a interpretação que se soma à intuição. Esta está sempre correta, mas sua interpretação pode ser equivocada.


Nenhum comentário: