quarta-feira, 25 de agosto de 2010

31 lugares para visitar em 2010

O New York Times apresenta uma seleção das viagens que você não pode deixar de fazer neste ano   
Tradução: Carolina Monterisi

Quer fazer uma viagem inesquecível este ano? O jornal americano New York Times selecionou 31 lugares que vão dar o que falar em 2010. E você não precisa ir muito longe: entre os destinos está o estado da Bahia, eleito o melhor lugar do Brasil para uma visita.

1. Sri Lanka


Getty Images
Com 20 milhões de pessoas, o Sri Lanka parece um grande zoológico tropical com elefantes andando livremente, búfalos descansando nos pastos e macacos balançando em árvores. Um aeroporto internacional em Matara, na costa sul da ilha, está em construção, o que facilitará o acesso às maravilhosas praias próximas ao vilarejo de Galle. Dizimada pelo tsunami em 2004, a região começa a receber uma aglomeração de hospedagens estilosas e hotéis-boutique.
Entre os ótimos hotéis da região, está o Thambapanni Retreat, que tem um spa que oferece yoga e tratamentos ayuvérdicos. O The Sun House, em Galle, é digno de hospedar a rainha da Inglaterra. Dentro da cidade, o Galle Fort Hotel é uma joia restaurada administrada por um casal australiano.

2. Vinícolas da Patagônia (Argentina)
Há dez anos, um grupo aventureiro de produtores de vinho chegou ao vale argentino de San Patrício Del Chanar, um canto improvavelmente fértil e assustadoramente bonito da Patagônia. Ele plantaram, cultivaram e esperaram. O resultado? Uma florescente região produtora de deliciosos pinot noirs e malbecs, com vinícolas sabiamente planejadas.
Uma das pioneiras na região, a Bodega del Fin del Mundo, que trabalha com o influente enólogo Michel Rolland, está acumulando medalhas internacionais. Ainda na região, a nova vinícola Valle Perdido possui um resort com dezoito quartos e spa que oferece tratamentos feitos com vinho.

3. Seul (Coréia do Sul)
Esqueça Tóquio: os fãs de design agora vão para Seul, eleita a capital mundial do design em 2010. O título, concedido por um renomado conselho de designers representa um ano inteiro dedicado a exposições, conferências e festas. Muitos eventos ainda estão sendo planejados (visite o site oficial para saber as novidades). O destaque vai, sem dúvida, para a terceira edição da Feira de Design de Seul (de 17 de setembro a 7 de outubro), que atraiu cerca de 2.5 milhões de pessoas no ano passado.

4. Mysore (Índia)
Os praticantes de yoga em busca de felicidade transcontinental estão se dirigindo para Mysore, a cidade dos palácios, no sul da Índia. A romaria foi impulsionada pela Ashtanga Yoga, um rigoroso conjunto de poses popularizado por Krishna Pattabhi Jois, morta em 2009 aos 94 anos. Seu neto é hoje diretor do Instituto de Pesquisa Ashtanga Yoga, que tem uma mensalidade inicial de US$600, com aulas que exigem um comprometimento mínimo de um mês.
Muito tempo e dinheiro? O boom da yoga na cidade deu origem a cursos para todos os perfis. Fora das aulas, a tribo de entusiastas da yoga se encontra no Bamboo Hut ou na piscina do hotel Regaalis Hotel, além de estudar sânscrito, fazer tratamentos de medicina ayuvérdica e participar de tours pelos palácios.

5. Copenhague (Dinamarca)


NYT
A capital dinamarquesa, sede da conferência climática em 2009, se firma cada vez mais como uma das cidades mais verdes (e possivelmente mais bacanas) do mundo. E esse estilo de vida foi abraçado pela população de Copenhague, que adotou as bicicletas como meio de transporte.
Longe de todo o modernismo e dos ciclistas felizes, os aficionados por cultura estão sendo atraídos para o distrito de Norrebro, uma das áreas mais inovadoras da cidade. Uma mistura de moderninhos, estudantes e imigrantes pode ser encontrada nos cafés e galerias em volta da praça Sankt Hans Torv, assim como nas jovens e animadas baladas locais.

6. Koh Kood (Tailândia)
Inacessíveis por muitos anos graças aos conflitos com a vizinha Cambodia e às péssimas condições de transporte, ilhas como Koh Kood, na Tailândia, estão começando a atrair turistas que buscam destinos paradisíacos. A abertura do Soneva Kiri, um retiro com 42 suítes, definitivamente amplia o potencial elitista das ilhas da região. Em breve: X2 Koh Kood, um eco-resort com 14 casas com piscina.

7. Damasco (Síria)
A próxima Marrakesh? Atentos na forma com a qual a renovação de pontos históricos de Marrakesh, no Marrocos, tem atraído viajantes ricos, hoteleiros de Damasco estão tentando explorar o turismo nas ruínas da capital síria. As casas do século 18 – muitas com quintais acolhedores e terraços na cobertura – se tornaram hotéis-butique, como o Old Vine e o Hanania, que também funciona como um pequeno museu.

8. Península de Cesme (Turquia)
Enquanto os baladeiros rumam para o litoral, outro canto da costa turca começa a surgir como uma alternativa bacana: os antigamente tediosos vilarejos da península de Cesme. A principal cidade é Alacati, que abriga a praia que foi a sede da Copa do Mundo de Windsurfe Profissional da Associação Slalom. Com previsão para ser inaugurado em setembro deste ano, o hotel Nars Alacati promete se tornar um ponto de encontro para os descolados de Istambul, assim como seu restaurante anexo, o Mesa Luna.

9. Antártida
Esse pode ser o último ano que a Antártida ficará aberta aos turistas. Os países que governam o continente mais gelado do mundo estão preocupados com o impacto do boom turístico no meio ambiente e pedem uma série de restrições que dificultarão o acesso de excursões ao lugar.
Com as novas regras entrando em vigor em até dois anos, as operadoras de turismo promovem 2010 como o último ano para visitar a Antártida enquanto, ao mesmo tempo, procuram alternativas para continuarem com o turismo.

10. Leipzig (Alemanha)
Em 2010, a pequena cidade industrial de Leipzig programou uma série de concertos e festivais para comemorar o aniversário de dois de seus ilustres ex-moradores: Johann Sebastian Bach, que completaria 325 anos, e Robert Schumann, nascido há dois séculos.
O ponto alto das atrações culturais da cidade será a retrospectiva Neo Rauch, que será inaugurada em abril no Leipzig Museum of Fine Arts em homenagem ao pai da nova escola de artistas de Leipzig, destaque da cena artística contemporânea na última década. Os especialistas em arte também poderão conferir o Spinnerei, uma antiga manufatura que abriga 11 galerias, um café e uma peculiar hospedaria chamada Meisterzimmer, com quartos a partir de 50 euros.
A cidade também terá novidades no cenário musical. Os DJs Sevensol e Matthias Tanzmann conectam seus laptops no Leipzig Pop Up, uma feira e festival de música que acontece em maio. Além disso, vários shows agitam a antiga região industrial da cidade durante o ano.

11. Los Angeles (EUA)


NYT
Los Angeles passa por um bom período artístico. Em outubro do ano passado, a pioneira galeria Blum & Poe inaugurou um espaço com quase 2 mil metros quadrados em Culver City. Em julho, o marchand veterano Thomas Solomon abriu uma galeria em Chinatown. Para 2010, estão planejadas as inaugurações das poderosas galerias nova-iorquinas L&M Arts e Matthew Marks.
Os museus locais, que passaram por apertos financeiros nos últimos anos, estão de volta à cena. O Museu de Arte Contemporânea celebra seu 30º aniversário com uma enorme exposição de 500 obras do pós-guerra. Em outubro, o grande Los Angeles County Museum of Art ficará ainda maior com a inauguração de sua ala projetada por Renzo Piano. E o bilionário colecionador Eli Broad, planeja criar seu próprio museu em Beverly Hills, Santa Mônica ou em uma terceira localidade a escolher.

12. Xangai (China)
Para muitos, a ideia de uma Feira das Nações pode parecer uma lembrança de uma era pré-globalizada. Mas tente dizer isso aos 70 milhões de visitantes que estão sendo esperados na Expo 2010 em Xangai. De 1º de maio a 31 de outubro, estandes irão invadir o rio Huangpu, transformando a enorme área em um playground arquitetônico, com criativos prédios representando mais de 200 nações.
Às vésperas da exposição, Xangai parece levar o tema deste ano ("Uma cidade melhor, uma vida melhor") ao pé da letra, gastando bilhões de dólares para melhorar a cidade. A margem do rio Bund está sendo revitalizada com parques e uma calçada que privilegia os pedetres, enquanto o metrô vai sendo dramaticamente expandido.

13. Mumbai (Índia)
Mumbai, na Índia, assiste a um renascimento de sua cena artística. Um passeio pelo novo distrito artístico de Colaba revela pelo menos cinco galerias de arte contemporânea. Aberta na segunda metade de 2009, a BMB, trouxe grandes nomes de todo o mundo para sua primeira exposição, enquanto a Volte inaugurou um espaço que inclui um café e uma livraria. Ainda na região, o Project 88, uma franquia da Galeria 88 de Calcutá, é focado no trabalho de artistas indianos e sul-asiáticos. O distrito ainda tem a Galeria Maskara, que abrigará pinturas, esculturas e aquarelas de T. Venkanna a partir de 15 de março.

14. Minorca (Espanha)
Sem os grandes empreendimentos hoteleiros típicos das cidades mediterrâneas, a pequena Minorca oferece um tranquilo contraste em relação às vizinhas Ibiza e Maiorca. Sua diversidade vai além da mais de cem praias: florestas, desfiladeiros profundos e pântanos dão outra cara para esse destino.
Para fazer uma viagem típica a Minorca, inclua no roteiro algumas noites em estabelecimentos rurais com o Ca Na Xini, uma fazenda que oferece quartos modernos dentro de uma hospedaria centenária.

15. Costa Rica


NYT
A Costa Rica tem atraído turistas apaixonados pela natureza há anos, porém, uma nova rota de pássaros no norte do país se tornou mais um motivo para visitar a região. Inaugurada no começo de 2009, a Rota dos Pássaros de Costa Rica abrange 13 reservas naturais com uma diversidade aviária que passa de 500 espécies.
Os turistas podem explorar a rota sozinhos (com o auxílio de um mapa que pode ser comprado online por menos de US$13) ou solicitar a ajuda de um guia local. Entre as atrações, estão os centros de pesquisas, os novíssimos eco-hotéis e as trilhas que revelam aves raras.

16. Marrakesh (Marrocos)As muralhas de Marrakesh devem ter protegido a cidade da recessão econômica. Luxuosos hotéis-butique, que começaram a chegar na cidade há poucos anos, estão surgindo aos montes nesta histórica cidade do norte da África. O hotel La Mamounia, o famoso playground de celebridades como Mick Jagger e Charlie Chaplin, reabriu em novembro depois de uma repaginada de US$176 milhões feita pelo designer francês Jacques Garcia.
Mas tudo é modesto demais em comparação com o imponente Royal Mansour, que será inaugurado este ano. Pertencente ao rei Mohammed VI do Marrocos, responsável em grande parte pela retomada do país, o resort embasbacante foi construído ao lado das muralhas da cidade e  planejado como uma minimedina, com pátios em estilo andaluz. O resort ainda terá três restaurantes liderados pelo chef Yannick Alleno, premiado com três estrelas pelo Guia Michelin.
E ainda tem mais. Até o fim de 2010, o hotel Mandarin Oriental Jnan Rahma, que parece saído de um filme épico, e uma franquia do Four Seasons (com 140 quartos) serão inaugurados, enquanto um resort com a bandeira Rocco Forte e um prédio da W Hotel estão nos planos para 2011.

17. Las Vegas (EUA)
Apesar de ter recebido menos turistas em 2009 em comparação com os anos anteriores, Las Vegas ainda atrai a atenção dos empreendedores. O CityCenter, um complexo hoteleiro de US$8.7 bilhões construído pelo cassino MGM, é a grande promessa na cidade este ano. Em dezembro, quatro de seus seis prédios foram inaugurados, incluindo um luxuoso shopping center. O residencial Veer Towers e o Harmon, um hotel-butique com 400 quartos, estão programados para abrir neste ano.
Em julho, o Encore, de propriedade de Steve Wynn, vai inaugurar um complexo de entretenimento, uma nova casa noturna e sua versão de um "beach club" (com piscinas e cabanas vips). Cinco novas piscinas serão abertas em março no Caesars Palace, que ainda terá uma cachoeira artificial de 5 metros de altura. O cassino e hotel Hard Rock, que revelou sua Paradise Tower em julho, inaugurou uma torre só de suites em dezembro juntamente com a Vanity, uma enorme casa noturna.

18. Bahia (Brasil)

NYT
Todos os olhos se voltarão para o Rio em 2016, quando a cidade será sede das Olimpíadas, mas agora o destino quente no Brasil é o estado da Bahia. Com seu inconfundível sabor afro, sua diversidade cultural, suas praias paradisíacas e uma nova leva de hotéis elegantes, a região está rapidamente se tornando uma nova área de lazer para o jet set internacional.
Em Trancoso, um refúgio que se torna mais descolado a cada minuto, o designer holandês Wilbert Das (antigo diretor criativo da Diesel) criou o Uxua Casa Hotel usando materiais reciclados, como telhas antigas e barcos de pesca abandonados. As casas coloridas e os jardins vistosos do hotel foram cenário do calendário Pirelli deste ano, fotografado por Terry Richardson.
Acompanhando a crescente elegância da cidade, um luxuoso resort Fasano com 30 habitações de frente para o mar, um restaurante e um spa estão em construção.
Em Salvador, cidade conhecida por seu animado carnaval de rua e pelas históricas ruas do Pelourinho, fique nos hotéis luxuosos. Inaugurado recentemente no Rio Vermelho, o Zank mistura estilos modernos e clássicos com uma vista incrível do Oceano Atlântico. Ali perto também fica o Pestana Bahia, com uma piscina no alto e quartos com vista para o mar. Uma vez na cidade, não perca "O beijo" e "O pensador" de Auguste Rodin, em exposição temporária no Palacete das Artes, que abriu uma galeria dedicada ao escultor francês.

19. Istambul (Turquia)


NYT
A cena de arte contemporânea de Istambul tem crescido constantemente nos últimos anos, com o site Art Knowledge News se referindo a ela recentemente como "uma das mais inovadoras do mundo." Essa reputação deve ser ainda mais adulada este ano, agora que a cidade foi considerada a Capital Européia da Cultura em 2010 (título também dado a Essen, na Alemanha, e Pecs, na Hungria). Uma série de eventos, exposições e performances pela cidade marcarão a ocasião. A lista completa pode ser encontrada no site oficial.
Mas uma das melhores formas de ver o que os principais artistas de Istambul estão fazendo é passeando nas apinhadas ruas que cortam o badalado bairro de Beygolu. Dentro do elegante Misir Apartments estão alguns dos lugares mais vanguardistas da cidade, como a Galerist e a Galeria Nev. Confira também o terraço e tome um drink no 360 Istambul, um bar estiloso que oferece uma vista deslumbrante da cidade.

20. Shenzhen (China)
Situada a 45 minutos de Hong Kong, a agitada cidade de Shenzhen é prova viva das transformações na economia chinesa nos últimos anos. Seu crescimento acelerado teve origem em 1979, quando Deng Xiaoping escolheu a cidade como zona econômica especial. De um dia para o outro, se tornou uma cidade desenvolvida. E um novo destino turístico.
O recém-aberto Grand Hyatt tem 491 quartos e compete com os suntuosos Kempinski Hotel Shenzhen e Shangri-La. Até mesmo as casas de massagem da cidade se tornaram elitizadas e legais. O Queen Spa tem espaço para pernoite, um teatro e um bar por menos de US$15 por noite, além de massagens que começam a US$25.

21. Lago Ohrid (Macedônia)
Um dos lagos mais profundos do mundo, com um deslumbrante cenário protegido pela Unesco, o Lago Ohrid, na Macedônia, é um destino que os turistas internacionais estão para descobrir. A 30 quilômetros da fronteira com a Albânia, a área remonta ao período neolítico. Entre as atrações estão a recém-renovada igreja de São Clemente e São Pantaleão em Plaosnik, uma épica obra de arte bizantina, e o monastério de pedra de São João do Kaneo, construído no século 13.
Uma renovação de US$50 milhões no aeroporto de Ohrid está planejada para 2010 e mais de seis hotéis de luxo planejam chegar na região. As atrações nas praias de Ohrid foram caprichadas no ano passado com estilosos bares e restaurantes, com destaque para o hotspot Cuba Libre.

22. África do Sul
Como sede da Copa do Mundo este ano, a África do Sul entrou no jogo com novos estádios, novos hotéis e roteiros de safári. Enquanto a bola estiver rolando, volte sua atenção para Cidade do Cabo. Já conhecida por suas praias maravilhosas, sua gastronomia de dar água na boca e sofisticada vida noturna, a cidade dá as boas-vindas aos hotéis luxuosos, como o recém-inaugurado One & Only Cape Town e o Taj Cape Town, que abre em breve. Também programado para este ano (mas não a tempo da Copa) está a segunda filial do jovem Missoni Hotel (a primeira foi inaugurada em Edimburgo no ano passado e os próximos serão abertos no Kuwait, Brasil e Oman).
Entre os jogos, há tempo suficiente para um safári. Se dinheiro não for problema, confira a reserva particular de Ulusaba, que inaugurou o Cliff Lodge, com piscinas privadas e uma vista espetacular. Os preços começam por volta de US$1.878 por noite para o casal.

23. Breckenridge (EUA)
Breckenridge não está contente em ser somente a capital mais festeira da região de Colorado Rockies: agora, ela quer ser Amsterdã também. Em seu 150º aniversário, a antiga cidade conhecida entre os fãs de esqui por seu espírito livre aprovou uma lei que descriminaliza a posse de pequenas quantidades de maconha.
Mesmo sem a lei, Breckenridge tem muito a oferecer além da sua avenida principal, que garante a diversão após o esqui com bares irlandeses, restaurantes luxuosos e lojas de grife. Mas não espere nenhum café no estilo de Amsterdã perto das pistas: a nova lei aplica-se somente à cidade e não às montanhas.

24. Montenegro
Na parte sul de Montenegro, quase na fronteira com a Albânia, existe uma arenosa praia de treze quilômetros chamada Velika Plaza (ou Long Beach), com uma ilha triangular onde o Rio Bojana encontra o mar. Chamada de Ada Bojana, esta ilha está rapidamente se tornando um destino badalado entre os jovens surfistas.
Enquanto o clima fantástico e as praias de areia acinzentada atraem turistas do leste europeu há décadas, os ventos generosos estão trazendo praticantes do kitesurfe da Alemanha, Inglaterra e França, que estão transformando a Velika Plaza na capital das ondas no Mar Adriático.
A cerveja barata também contribui. A área é tão pouco desenvolvida que o único resort é um recanto naturista popular entre os alemães. Enquanto isso, turistas que querem permanecer vestidos podem reservar quartos a 26 euros no Hotel Mediteran na pequena cidade de Ulcinj, que fica a 15 minutos da praia.

25. Ilhas de VancouverVancouver terá atenção do mundo do esporte ao sediar as Olimpíadas de Inverno este ano, porém sua mais recompensadora exploração ao ar livre pode ser encontrada fora da cidade, longe do tumulto e dos roteiros comuns. Pegue o BC Ferry, uma balsa que vai de Vancouver a Nanaimo, e dirija por três horas para conhecer a selvagem e dramática costa oeste da região. A nova trilha Wild Pacific atravessa a rochosa área, passando por enseadas repletas de piscinas naturais, com o Pacífico do outro lado.
Uma trilha para caminhada está sendo construída pela densa floresta, com áreas de observação que revelam faróis do começo do século passado. Com sorte, é possível ver a migração das baleias, já que cerca de 20 mil delas passam pela região entre fevereiro e maio. A base da Wild Pacific é uma vila de Pescadores chamada Ucluelet, que possui uma série de pousadas e pequenos hotéis como o Terrace Beach Resort, com acesso direto à trilha.

26. Colômbia
Viajantes experientes estão chamando a Colômbia de próximo destino quente da América Latina. Bogotá, sua capital, surge como um modelo de reinvenção urbana. As calçadas, usadas anteriormente como estacionamento, são agora ladeadas por ciclovias e cafés. Um inovador sistema de ônibus diminui o tempo de viagem na cidade congestionada. Novos museus e restaurantes enriquecem o centro histórico, incluindo o renovado Museo Del Oro, que guarda tesouros pré-colombianos.
Enquanto isso, a pitoresca cidade de Cartagena das Índias, reconhecida pela Unesco, experimenta uma grande onda turística e fica cada vez mais estilosa. A última novidade é o Tcherassi Hotel + Spa, um hotel-butique com sete quartos idealizado por Silvia Tcherassi, uma estilista colombiana.

27. Kitzbühel (Áustria)

NYT
Muitos austríacos conhecem Kitzbühel somente como um paraíso para esquiadores, mas nos últimos anos a cidade também começou a ganhar fama por seus restaurantes de qualidade: com lugares reconhecidos pelo Guia Michelin, esse pequeno vilarejo dos Alpes está atraindo amantes da gastronomia também.
A maior parte dos lugares celebrados está em hotéis, com no cinco estrelas Tennerhof e no Schwarzer Adler, que abriga o restaurante Neuwirt. Os melhores pontos, no entanto, estão escondidos ao redor da cidade: o Rosengarten, único da região com duas estrelas no Michelin, em Kirchberg, e o Schindlhaus, em Soll, onde os irmãos Christian e Markus Winkler dirigem uma cozinha dedicada aos ingredientes locais.
Naturalmente, os pratos não saem uma pechincha. Se você não pode bancar, tente algo mais charmoso: o celeiro no centenário hotel Stanglwirt oferece pratos típicos a preços acessíveis.

28. Noruega
Com seu cenário dramático, a Noruega é possivelmente uma dos cantos mais exóticos e menos explorados da Europa. Depois de convencer o mundo de que seus fiordes e sua costa podem ser um ótimo refúgio no verão, os noruegueses começaram a mostrar seu charme como destino de inverno. Tours de esqui e caminhadas oferecidos pelo Lyngen Lodge apresentam áreas bucólicas do norte, como os maravilhosos Alpes Lyngen, que possuem barcos para transportar dos fiordes às pistas de esqui.
A indiferença do país para as tendências do mundo hoteleiro torna tudo ainda mais interessante. Quem precisa de uma suíte presidencial quando é possível alugar um farol em uma ilha particular?

29. Gargano
Longe das multidões da costa Amalfitana, a península italiana de Gargano repousa no mar Adriático e lança uma lista completa de opções perfeitas para as férias. As ofertas começam acom s belezas do Parque Nacional de Gargano, que vão das florestas aos vilarejos à beira-mar.
De barco, é possível visitar a rica natureza marinha das ilhas Tremiti. Para atrações históricas e bons restaurantes de frutos do mar, tente as vilas de Peschici e Vieste. Ainda é possível escalar montanhas com conforto e sem gastar muito.

30. Kuala Lumpur

Enquanto a ilha de Phuket é uma das âncoras do turismo no sudeste asiático, Kuala Lumpur se tornou o destino favorito dos jetsetters da região. A forte cena gastronômica da cidade, um de seus atrativos, rendeu até um blog especializado, o Eating Asia.
Além dos fãs de comida, a capital da Malásia ainda atrai os amantes das compras. Bernard Chandran, que ficou famoso após ter uma de suas criações usadas pela estrela do pop Lady Gaga, tem uma badalada loja no shopping KL Plaza. A cena fashion da cidade se concentra principalmente nos bairros Jalan Telawi 2 e 3, a cerca de 15 minutos do centro. Recentemente foi inaugurado o Chic Pop, mercado que acontece a cada três meses na Zouk e abre espaço para jovens estilistas.

31. NepalEsqueça São Francisco e Ibiza. O novo destino gay atende pelo nome de Nepal. Dois anos depois de aprovar a lei que prevê igualdade entre os gêneros, esse conservador país himalaio parece ter avançado em velocidade máxima.
Bares gays surgem aos montes na capital (veja a lista no site Utopia Asia) e existe até uma agência em Katmandu que promove o turismo gay no país. A Pink Mountain Travels and Tours promete até aliar a viagem com um casamento, já que o Nepal pode legalizar a união entre pessoas do mesmo sexo ainda este ano.


Nenhum comentário: